Escutei de alguns pais e mães a preocupação com a infinidade de palavrões que suas crianças e adolescentes têm proferido neste tempo de pandemia. Disse uma mãe:  - Onde eles aprendem tantos palavrões? Alguns temos que pesquisar para saber o significado!

As redes sociais na palma da mão, via celular, são a fonte dos palavrões da moda. As crianças, adolescentes, adultos sem filtro e senso crítico têm bebido na fonte das mídias sociais. Se tornam repetidores de informações ruins, cheias de maldades e interesses escusos.  A tecnologia permite que qualquer pessoa produza pequenos vídeos, filmes, programas e mensagens. O conteúdo, além de ser de gosto duvidoso, é expresso por meio de uma enxurrada de palavrões.

Jesus, nas suas andanças entre a humanidade, disse que ele era uma fonte. Em João 7.37, conta que no último e mais importante dia da festa, Jesus levantou-se e disse em alta voz: "Se alguém tem sede, venha a mim e beba”. Ele se colocou como uma fonte de água para aqueles e aquelas que têm sede de Deus. Quem beber desta fonte, jamais terá sede da presença de Deus. A mulher samaritana que retirava água do poço também ouviu de Jesus esta afirmação. (Jo 4ss)

 Beberíamos nós de uma fonte de água não confiável? Claro que não. Há pessoas que nem confiam no tratamento de água servida nas torneiras. Compram água de fontes minerais para garantir que estão bebendo água limpa.

Penso que deveríamos trazer esta prática de escolher a melhor água para bebermos para a escolha das fontes de informações e ideias.  Precisamos monitorar as fontes nas quais nossos filhos e filhas bebem palavras, ideias e expressões. A fonte que faz brotar na boca dos pequenos palavras e ideias que não ajudam no seu desenvolvimento, precisa ser monitorada. Ajudá-los escolher é tarefa de quem educa.  A fonte onde se bebe informações e conhecimentos precisa produzir nos pequenos e em todos nós o que é bom. Nossa tarefa é exercitar com as crianças e adolescentes uma leitura crítica, sem falsos moralismos e repressão. Precisamos ensiná-los a construírem critérios para distinguir o que é bom e o que faz mal para a vida.  Precisamos beber numa fonte de água limpa para poder transmitir, especialmente a crianças e adolescentes, ideias e expressões saudáveis e construtivas. Onde encontrar uma fonte confiável?   

Jesus diz em João 7.38: “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva".  Jesus é a fonte na qual saciamos nossa sede de Deus e alimentamos a nossa espiritualidade.  Se ele for a fonte, teremos saciado a nossa sede de Deus.  Além disso, do nosso interior brotarão rios de água viva.

Rios de água viva são rios de água corrente. Por onde passam, mantêm, criam, fornecem e espalham vida. A humanidade sempre habitou perto dos grandes rios para ter a segurança de água para viver e usufruir da vida.  

Pessoas que bebem da fonte Jesus, se tornam fonte, espalham vida, esperança, amor ao próximo, palavras boas de ânimo, conforto e compreensão. Se bebermos na fonte certa, sairá de nós o que há de melhor. Escolham saciar a sede da sua alma, de valores e ensinamentos bons para si, seus filhos e filhas em Jesus Cristo, nosso Senhor. Ele é a fonte da água viva e eterna.  


P. Carlos E. M. Bock - Pastor Sinodal

Fale conosco

Olá! Envie sua mensagem através do formulário abaixo.

Contato

Rua Amadeo Rossi, 467 - Prédio B Morro do Espelho - São Leopoldo - RS

(51) 3589 3821 / (51) 3134 1180

secretaria@sinodors.org.br