A Ascensão de Jesus é o grande sinal da conclusão do plano de reconciliação que Ele recebera de seu Pai, o Senhor sobre tudo e sobre todos. 

A vida de Jesus, a morte dele, a ressurreição e a Ascensão são inseparáveis. É uma unidade indivisível! Portanto, a Ascensão não é um acontecimento isolado. É o encaminhamento que inicia a missão evangelizadora e diaconal que está em andamento até os nossos dias. Aqui estamos nós no ano dois mil e dezenove. Somos frutos da missão evangelizadora e diaconal na obediência e na fidelidade do envio de Jesus conforme está registrado no Evangelho de Marcos 16.15. “E disse-lhes Jesus: - Vão por todo o mundo e preguem o Evangelho a toda criatura...”. Podemos dizer que a Ascensão de Jesus possibilita a segunda fase do plano de reconciliação operada por Cristo Jesus. Ele chama e convoca todos os seus seguidores para a decisiva construção da sua Igreja. Todos que o acolhem como Senhor e Salvador são participantes do seu envio. Inicia, assim, o ministério da Igreja, a una e indivisível Igreja de Cristo.

Essa Igreja de Cristo é formada e legitimada no envio e na chegada do Espírito

Santo conforme Jesus o havia prometido. Para os discípulos foi um processo demorado serem convencidos de que Jesus veio para todas as pessoas.

Ninguém está impedido de partilhar e receber o Espírito Santo: “Enquanto

Pedro falava essas palavras, o Espírito Santo caiu sobre todos os que ouviam a mensagem”. (Atos 10.44) Pedro estava na casa de Cornélio com familiares e outros convidados.

Felizes são todos os que se deixam acolher e incluir nesta Igreja de Cristo. Cabe lembrar a conclusão daqueles que estavam na companhia de Pedro, quando ele relatou sua experiência aos outros discípulos e aos que o questionaram por terem aceito o convite de um pagão (Cornélio): “Então também aos gentios (os não judeus) Deus concedeu o arrependimento para a Vida!” (Atos 11.18)

A Comunidade da Ascensão em Novo Hamburgo, assim chamada para marcar e proclamar que somos participantes desta Igreja que nasce na Ascensão e no poder e na ação do Espírito Santo. “No Domingo Rogate, dia 15 de maio de

1898, a `Himmelfahrskirche`- assim foi denominada até a proibição da língua alemã durante a Segunda Guerra Mundial, quando passou a ser chamada de “Igreja da Ascensão de Nosso Senhor” – da Comunidade Evangélica de Novo Hamburgo...”.

Em Novo Hamburgo é feriado Municipal no Dia da Ascensão.

Como cristãos evangélicos de confissão luterana, precisamos insistir em que a Ascensão de Jesus “completou o ministério terrestre de Jesus. A vinda do Espírito

Santo e a Ascensão aconteceram só depois de Jesus ter tomado todas as providências com os discípulos para garantir a continuidade da sua obra de redenção da humanidade. Só então voltou para o lugar (posição) onde estava antes de se tornar carne (pessoa)”. (P. Eldo Kruger)

Ascensão, portanto, significa que a presença de Jesus e sua missão no mundo não estão mais limitados ao tempo e ao espaço. Sua presença está na ação do Espírito Santo que convence, chama, reúne, consola, ensina, anima, exorta, cura e fortalece todos para a comunhão (convívio) de todos os que creem e confiam

Nele. Por isso podemos continuar a pedir: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um Espírito inabalável.” (Salmo 51.10)

P. Hardi Brandenburg

Comunidade Ascensão/Novo Hamburgo


Fale conosco

Olá! Envie sua mensagem através do formulário abaixo.

Contato

Rua Amadeo Rossi, 467 - Prédio B Morro do Espelho - São Leopoldo - RS

(51) 3589 3821 / (51) 3134 1180

secretaria@sinodors.org.br