Mensagens

Senhas diárias:

26 de Junho de 2017

Salmo 119.43 – Ajuda-me a falar sempre a verdade.

1 Coríntios 4.1-2 – Vocês nos devem tratar como servidores de Cristo, que foram encarregados de administrar a realização dos planos secretos de Deus. O que se exige de quem tem essa responsabilidade é que seja fiel ao seu Senhor.


Lema do mês:

Junho de 2017

 

 Então Pedro e os outros apóstolos responderam:

Nós devemos obedecer a Deus e não às pessoas. (Atos 5.29)


Meditação do mês:

Junho de 2017

LEMA do mês de junho 2017:

 

    Então Pedro e os outros apóstolos responderam:

Nós devemos obedecer a Deus e não às pessoas. (Atos 5.29)

 

Obedecer a Deus ou calar-se?

     

Obedecer a Deus é testemunhar toda a verdade. Os discípulos presenciaram tudo; foram testemunhas oculares de tudo o que aconteceu e aquilo que as autoridades fizeram com seu Mestre Jesus. Por isso não puderam calar. Pelo que podemos ler no texto de Atos 5.17, onde consta que nem sempre a verdade prevalece diante as autoridades. Os apóstolos só puderam testemunhar o que viram e ouviram e o que aconteceu com Jesus. E, mesmo assim, foram presos porque tiveram que subjugar-se à voz das autoridades. Mas Pedro e os apóstolos não ficaram calados. Com muita coragem abriram a boca e afirmaram diante das autoridades em alta voz: “Nós devemos obedecer a Deus e não às pessoas”.                                                 

Estas palavras mostram que os apóstolos agiram em nome de Deus. Pedro e seus companheiros estavam decididos a falar às autoridades: devemos obedecer a Deus e não às pessoas. Eles estavam confiantes de que Deus dá o Espírito Santo a quem obedece. A obediência representa fidelidade ao projeto de Deus.

Testemunhar a verdade é abrir a boca para falar o que se viu e ouviu. Também nós não devemos ter medo de falar de Deus, pois o Espírito de Deus dará as palavras certas para a ação exata entre nós. O anúncio do Evangelho de Jesus Cristo não necessita de diplomacia, que procura amenizar o impacto da mensagem. A mensagem de Deus deve ser anunciada de forma direta e clara, mesmo que isso seja contra as autoridades competentes.                              

Pedro e os apóstolos não fizeram rodeios. Eles foram muito claros e objetivos. Com muita firmeza afirmaram: Vocês crucificaram Jesus, mas Deus o ressuscitou e o colocou à sua direita como líder e salvador do mundo pecador (v. 30). Assim todos terão oportunidade de arrependimento. Os apóstolos foram enviados ao mundo para anunciar o evangelho a todas as nações.                 

Como também nós ainda hoje no século 21 somos chamados, enviados e devemos cumprir a nossa missão de publicar a mensagem da salvação de Cristo a todas as nações. A fé capacita-nos e inspira para a pregação da Palavra de Deus, também à prática da diaconia movida pelo Espírito Santo, pelo sagrado mandamento do amor ao próximo, a exemplo de Jesus Cristo. O texto do qual é tirado o lema trata da libertação dos apóstolos da prisão por um milagre. Livres, em obediência, seguiram a voz do anjo que diz: Vão para o templo e anunciem tudo a respeito da nova vida.                                Na verdade, também nós cristãos somos mensageiros da boa-nova da salvação, isso porque Jesus Cristo disse: Vós sois a luz do mundo e o sal da terra.                                                                 

 

            

Diaconisa Ilanda D. Goelzer


Palavra do Pastor Sinodal:

Adeus, solidão!
1 de Junho de 2017

           Há alguns dias, assisti à palestra do Amyr Klink (navegador brasileiro, palestrante e escritor, que foi a primeira pessoa, em 1984, a fazer a travessia do Atlântico Sul a remo a bordo do barco IAT).   No final da palestra, a plateia podia fazer perguntas. E uma das perguntas foi: Como suportaste a solidão em meio àquela vastidão de mar? Ele disse que fisicamente estava só, mas nunca solitário, pois todos os seus estavam com ele, em sua memória, em sua consciência, em seus afetos. E ele deu uma dica importante, tirada de sua vida dedicada à navegação: Se tu tens um sonho, tens que fazer para que o sonho se torne realidade!

Quando Jesus começa a se despedir (João 14.1-23), os discípulos e discípulas passaram pela sensação de abandono e solidão.   Como seguir adiante sem a liderança de Jesus? Jesus promete que eles/elas não ficarão na solidão. O Espírito Santo estará presente. O Espírito Santo será identificado por causa do conhecimento a respeito de Jesus. É sua promessa!

Qual o caminho para não se sentir na solidão, na ausência física do Senhor?  Jesus diz que sairão da solidão se cumprirem o mandamento do amor dado por Ele. No cumprimento desse amor, que não pede nada em troca, está a saída para não sofrer de solidão. Quem segue Jesus e cumpre o mandamento do amor sentirá a sua presença. E essa presença é o Espírito Santo, que está presente em suas consciências e memórias afetivas. Além disso, Jesus fez a promessa de que enviará o Espírito Santo para que eles percebam a sua presença e ajam conforme o seu Espírito.

               O navegador dá uma dica: é preciso fazer algo.  Quem espera sentado não faz nada, e quem não faz nada não terá nada. No final da jornada, sentirá solidão. É preciso levantar, mexer-se e ir ao encontro do próximo por causa da fé em Jesus, por causa do poder do Espírito Santo e do amor de Deus que tudo envolve.

 O amor dos seguidores e seguidoras precisa tornar-se real no mundo. O mundo não é o espaço geográfico. O mundo é o modo como as pessoas vivem a sua vida. É no meio das pessoas onde acontece a vida real, que se vive o poder do Espírito Santo.

            Fazer o quê? Ajudar o próximo que sofre, acolher os necessitados de consolo e pão, ser solidário nas catástrofes, no abraço solidário que manda embora a solidão, o medo e a sensação de abandono. O Espírito Santo enche-nos de amor, misericórdia, bondade, gentileza, compreensão. Sem o Espírito Santo vamos ao encontro dos outros para disputar. Queremos ser mais, queremos ser amados sem amar, ser respeitados sem nada fazer para isso e tantas outras coisas que são próprias do jeito de viver neste mundo individualista. O individualismo gera solidão!

O mundo pode ser diferente do que é. Precisamos dizer não à competição, ao egoísmo, ao poder sobre os outros. Vamos dizer sim à cooperação, à solidariedade, à misericórdia com os mais fracos. Se quisermos um mundo diferente, não basta sonhar com ele. E preciso fazer parte dele, propondo algo novo. A missão foi dada por Cristo, e ele prometeu que estará junto conosco com a força do Espírito Santo. Se não fizermos nada e só desejarmos um mundo diferente, ficaremos na solidão. O Espírito Santo está conosco para que o amor, nascido da fé, se torne realidade em nossa vida, em nossa família, em nossa comunidade, em nossa cidade e no mundo.

Finalizo com a palavra de Jesus em João 14.23: A pessoa que me ama obedecerá à minha mensagem, e o meu Pai a amará. E o meu Pai e eu viremos viver com ela.

 

P. Carlos E. M. Bock

Vice-Pastor Sinodal

 

 

IECLB

Contato

Rua Amadeo Rossi, 467 B - Bairro Morro do Espelho
São Leopoldo / RS - CEP 93030-220

(51) 3589 3821
(51) 3037 7527
(51) 999133 9052

faleconosco@sinodors.org.br

hand made by Schleder*