Mensagens

Senhas diárias:

22 de Maio de 2018

Salmo 116.6 – O Senhor protege os que não podem se defender. Quando eu estava em perigo, ele me salvou.

2 Coríntios 12.9 – O apóstolo Paulo escreve: Eu me sinto muito feliz em me gabar das minhas fraquezas, para que assim a proteção do poder de Cristo esteja comigo.

1 Coríntios 14.1-5,27-40 * Hebreus 10.1-18


Lema do mês:

Maio de 2018

Hebreus 11.1  – A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.


Meditação do mês:

Maio de 2018

“A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.” (Hebreus 11.1) 

O nosso bondoso Deus nos criou com a capacidade de nos relacionarmos com ele pela fé. Donde vem essa fé? Uma resposta que encontrei, lendo a Bíblia, foi esta: “Portanto, a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem vem pela pregação a respeito de Cristo.” (Romanos 10.17).

Assim, é a própria palavra de Deus que dá origem à nossa fé. É o que demonstra o autor da carta aos Hebreus, que, neste capítulo onze, cita inúmeras personagens do antigo testamento que obtiveram a aprovação de Deus por terem vivido em comunhão com ele pela fé. Aqueles que assim honraram a Deus foram citados como exemplos de fé para nós.

Tenho um depoimento muito atual a respeito do fato de que a fé vem pelo contato com a palavra de Deus. Há um ano e meio atrás, pedi ao Ricardo (jardineiro que nos ajuda na manutenção do jardim da casa onde residimos) que viesse comigo até uma capela que a nossa comunidade mantém num bairro onde funcionou um ponto de pregação. Queria que ele limpasse o pátio que estava repleto de vegetação inadequada. Deixei com o Ricardo a chave da capela para que ele pudesse usar o banheiro. Mais tarde, ele abriu a porta e se deparou com uma bíblia aberta. Então leu as palavras do Salmo 23 e sentiu-se muito emocionado. Ficou tão perplexo com o fato de haver uma bíblia trancada num local vazio, sem ninguém estar tomando conhecimento de palavras tão surpreendentes como aquelas que havia lido, que, quando terminou o serviço, passou lá em casa para devolver a chave e não se conteve; perguntou-me por que havia uma bíblia trancada lá.

Nossa conversa terminou quando lhe respondi que não teria como responder a sua pergunta. Ele mostrou-se tão inconformado, que eu quis saber se ele tinha uma bíblia em casa. Ele falou que não... Perguntei-lhe se aceitava uma como presente. Ele disse que sim. Fui buscar uma bíblia e, quando lha entreguei, ele deu um beijo na bíblia e abraçou-a bem forte. Perguntei-lhe o que ia fazer com ela. Respondeu sorrindo: “Vou ler!” Daquele dia em diante passou a ler diariamente. Já leu duas vezes a bíblia toda, e está em Jeremias de novo. Ricardo participa dos cultos e dos estudos bíblicos. Já trouxe a família. Dias atrás comentou comigo: “Me sinto como Jó, eu conhecia a Deus por ouvir falar dele; hoje eu o vejo! [.] Creio nele como Pai, Filho e Espírito Santo, e o amo de todo o meu coração.”         

 

                                                                                       Pastor Charles Roberto Höpner – Comunidade Niterói – Canoas.


Palavra do Pastor Sinodal:

O ar, o sopro e o vento...
4 de Maio de 2018

 “Ninguém está pensando no ar o tempo todo. E, no entanto, todos nós estamos respirando esse ar o tempo todo. O ar é a nossa vida e não precisamos pensar nele nem dizer o seu nome para que ele nos dê vida. Mas o homem que se afoga no fundo das águas só pensa no ar. Deus é assim. Não é preciso pensar nele e pronunciar o seu nome. Ao contrário, quando se pensa nele o tempo todo é porque está se afogando.”

Rubem Alves tinha um jeito especial de falar de Deus.  Lendo esse texto, deste incrível poeta, lembrei-me de dois momentos em que o ar e o vento são fundamento da nossa história com Deus.

Na narrativa da criação, em Gênesis 2.7, Deus, do pó da terra, formou o ser humano. O Senhor soprou o sopro de vida. Só a partir desse momento homens e mulheres passam a ter a possibilidade de perceber a beleza do lugar onde Deus os colocou para viver. Sem a respiração de Deus, não poderiam sentir o frescor da brisa, o verde das árvores, as cores das flores, nem perceberiam o doce das frutas. A respiração de Deus lhes deu a vida.

  A continuação da história, todos já a conhecem... Hoje, a responsabilidade dada a homens e mulheres de cuidar da criação está desvirtuada pela ganância. Quem mais sofre são as criaturas de Deus que estão desaparecendo do planeta, extintas pelo descuido, pelo descaso, os pequeninos e as pequeninas que precisam de ajuda para respirar, para continuar vivendo.

O segundo texto é do Novo Testamento.  Ele fala do ar, do vento, como sopro de Deus. O texto de Atos 2.1-13 conta que os discípulos estão reunidos depois da ascensão de Jesus. O medo toma conta deles. Mas, de repente, veio do céu um barulho que parecia um vento, soprando muito forte, e a casa ficou cheia dele. Só depois que o Espírito Santo foi soprado por Deus sobre eles, é que iniciam a missão que Jesus lhes tinha ensinado. É o sopro de Deus que dá consciência do próprio Deus, de Jesus e da força do Espírito Santo. O sopro de Deus lhes permite falar sem medo.  Não existiria fé cristã e igreja sem o sopro de Deus, o Espírito Santo. 

 A compreensão do Espírito Santo tem tudo a ver com esses textos. A respiração de Deus é a nossa vida. Sem ela não vivemos. É ela que nos “inspira”, nos enche de “anima”, nos motiva a contemplar a criação e a continuar cuidando dela.

Vem, Senhor! Sopra teu Espírito e nos enche com teu amor, para que continuemos cuidando da tua criação! Inspira homens e mulheres a cuidarem uns dos outros e de todos os seres viventes que embelezam a tua linda criação!

P. Carlos Eduardo Müller Bock

Vice-Pastor Sinodal

IECLB

Contato

Rua Amadeo Rossi, 467 B - Bairro Morro do Espelho
São Leopoldo / RS - CEP 93030-220

(51) 3589 3821
(51) 3037 7527
(51) 999133 9052

faleconosco@sinodors.org.br

hand made by Senso*